Um corredor florestal seguro para os chimpanzés

Chimpanzés no Parque Nacional Sapo O habitát dos chimpanzés está desaparecendo - por isso, as áreas de proteção são muito importantes (© Sonja Metzger/ WCF)

9 de dez. de 2023

É uma boa notícia para os chimpanzés da África Ocidental: A floresta de Cavally, na Costa do Marfim, foi declarada reserva florestal. Com isso, o ele entre os Parques Nacionais de Tai e de Sapo está melhor protegido, e por consequência, o habitat dos primatas.

A área da Floresta de Cavally, com seus 67.500 hectares, pertence à maior área remanescente de floresta tropical na África Ocidental; ela é o ponto de conexão entre os Parques Nacionais do Taï (na Costa do Marfim) e do Sapo na vizinha Libéria. Nesse complexo florestal vivem alguns milhares de chimpanzés  do ocidente africano (Pan troglodytes ssp. Veru, os quais estão ameaçados de extinção).

Por causa disso, primatólogos e ambientalistas vem se engajando, já há alguns anos, por uma proteção mais forte da floresta de Cavally. A Fundação de Proteção do Chimpanzé Wild Chimpanzee Foundation (WCF)  qualificou a decisão como sendo “um passo monumental para a preservação da biodiversidade na África Ocidental” e um “sinal de esperança para a Costa do Marfim”.

O Governo da Costa do Marfim declarou, em 13 de setembro, a floresta do Cavally como reserva natural. Até agora, a área era considerada apenas como “floresta classificada”, onde a derrubada em escala comercial era permitida, o que vinha causando grandes danos. Agora, a autoridade florestal nacional Office Ivoirien des Parcs et Réserves (OIPR) é competente por essa reserva. Com isso, a derrubada de árvores é completamente proibida. Agora, a autoridade florestal quer fortalecer nas comunidades locais a consciência referente ao status da área de proteção, bem como as leis de proteção pertinentes.

A floresta de Cavally já perdeu 1/3 de sua área florestal; em termos gerais, já desapareceram, no país, só nas últimas 6 décadas, 90% das florestas costa-marfinenses. Tanto a derrubada para fins de exploração comercial de madeira como o cultivo ilegal de cacau contribuiu para esse resultado. Segundo a WFC, a caça alcançou uma “dimensão alarmante”:

A Wild Chimpanzee Foundation (WCF) é parceira estreita de “Salve a Floresta” já há muitos anos na proteção do habitat do chimpanzé africano-ocidental.  Aqui pode ler mais sobre o trabalho da organização.

Inscreva-se aqui agora para receber a nossa newsletter.

Continue informado e alerta para proteger a floresta tropical, continuando a receber a nossa newsletter!